segunda-feira, 23 de março de 2015

Não sei mais dançar... E agora?

Todo mundo que começa a fazer dança do ventre e se dedica por algum tempo vai "subindo de fase". A gente começa como iniciante, vai para o intermediário, algumas chegam ao avançado e outras poucas se profissionalizam. É seu corpo se adaptando à dança e, claro, seu esforço em estudar e vencer seus próprios limites.

Mas a vida nem sempre segue uma linha reta em tudo que fazemos. A gente pode chegar até o último estágio, outras prioridades tomam a vez e, quando vemos, a dança do ventre não faz mais parte da nossa vida! Geralmente é um intervalo, conheço pouca gente que realmente abandona a dança do ventre (ao menos se chegou ao nível intermediário), mas quando passa MUITO tempo?

Talvez aqueles passos bem básicos vão estar ainda na sua mente, e seus braços ainda vão se manter na posição, sem retroceder às "garras" da época iniciante. Mas e o redondo?! Eu faço uma maravilha pra direita, agora pra esquerda parece que estou usando um bambolê. E principalmente: o shimmie!! Me diga alguma pessoa que tenha ficado 2 anos sem dançar, voltar e shimmar que nem Soraia Zaied! É um festival de solavancos!

Pode bater um desânimo, na verdade, nem exatamente desânimo, mas pensar: caraca, eu desaprendi a dançar! Como isso aconteceu?! Eu ouvia música árabe toda vez que faxinava a casa e ainda dava meus passinhos! Meu corpo devia ainda estar meio acostumado, não?

Pois é, não. De repente aquelas meninas que faziam balé desde a infância e tem todos os seus músculos do corpo naturalmente alongados possam ter menos dificuldade para voltar, mas e daí? Por que não voltar e entrar numa turma iniciante? Rever todos aqueles movimentos que fizeram a sua alegria por muitos anos? Ou então arrumar uma professora particular para fazer seu corpo sofrer desafiar novamente seus próprios limites. Por que desistir antes mesmo de começarDançar é muito prazeroso! Dançar um estilo de música que a gente gosta é "mais melhor de bom" ainda! Não é para a gente fazer aquilo que gosta? Então se joga! :D
Fico aqui com um vídeo de uma diva bellydancer que chegou a deixar essa arte, mas voltou para nos brindar com seu talento: Carlla Silveira!

quarta-feira, 4 de março de 2015

Tradução: Min Hob fik ya Ghari

Tradução da música Min Hobi fik ya Ghari de Morse Gamal a pedido de Vanessa Raithz.


Min Hobi Fik Ya Ghari - Meu amor a você, oh vizinha

Meu amor a você, oh vizinha
Oh vizinha, meu desejo
Escondo meu desejo por você
Para que os vizinhos não descubram

Quando acontece de nos encontrarmos nas escadas,
Você não diz bom dia ou um olá.

Meu coração dança com alegria,
E o mundo gira ao meu redor,
Eu não sei para onde vou
Ou de onde venho.

Escondo meu desejo por você
Para que os vizinhos não descubram

E a vida amorosa acontece de janela para janela
Nossos olhos percebem e se olham diretamente,
Meus olhos se derretem de amor, mas você é difícil de se conquistar
Nossos olhos percebem e fazem contato,
Eles se cumprimentam, mas você parece negar.

Escondo meu desejo por você
Para que os vizinhos não descubram


Letra:

Min hobi feek ya gari, ya gari men zaman
Akhaby el sho wa dary le arafo el geran
Akhaby el sho wa dary adary le arafo el geran

Youm netsadef al selem, la tesabah wala tesalem
Youm netsadef al selem, la tesabah wala tesalem

Alby beyoros bel farha wal donia ter hawelaya
Marafash fein kont rayah ya habeby wala gay

Akhaby el sho wa dary adary le arafo el geran

Wa hayat hobak mashabak men shibak le shibak

Wa aiyoun tefham wa teshawar
Wa daweb sho wa gafak
Wa aiyoun tefham wa tehawer
Wet salem waya nesa

Wa akheby el sho wa dary adary le arafo el geran

domingo, 1 de março de 2015

Para começar a fazer dança do ventre!

Muitas meninas (ou meninos, Tito está aí pra mostrar que eles podem arrasar também na dança do ventre) sonham em fazer sua primeira aula de dança do ventre, mas sempre bate aquela dúvida: será que levo jeito? Meu corpo é ideal para a dança? Tenho que ter algum material específico para dançar? Onde posso fazer aulas?
Começando de trás pra frente, sim, buscar uma boa professora e/ou uma boa escola é fundamental para se iniciar na dança do ventre, não vá querer parecer uma múmia paralítica dançando por ter postura errada, braços errados e, pior ainda, causar lesões sérias no seu corpo! Para isso disponibilizamos aqui já algumas dicas de escolas e professoras (que pretendo atualizar, prometo!). Mas lugar escolhido, data e horário marcados, o que mais devo me preocupar?

1 - Com que roupa, eu vou!
Use roupas maleáveis e leves! Você vai se exercitar bastante! Em geral as calças de ginástica são as mais comuns em aulas de dança do ventre, mas shorts, saias, bermudas de tecidos elásticos e leves são bem vindos também. É sua escolha também deixar a barriga de fora ou coberta, tops, regatas, mas é importante apenas marcar o tronco com a roupa - se o cobrir - para que possa ver os movimentos. Alguns locais possuem xales de medalhinhas e frufruzetes para emprestar durante as aulas e você marcar seu quadril e ouvir se está fazendo os movimentos dentro do ritmo, eles são bem úteis para quem está começando, mas com ou sem eles, você vai aprender a dançar!

2 - Devo ser gorda para dançar? Ou devo ser magra? Ou devo ser jovem?
Vamos dançar e nos divertir, não ser paniquetes!hehe. A aula segue aumentando a intensidade dos movimentos, mas você não é abrigada a fazer o que não se sente bem ou tem ainda condições físicas de fazer. Gordura nem magreza são impeditivos de dançar, muito menos idade! Vejo senhoras muito mais desenvoltas que muitas menininhas numa mesma aula, e o mais importante: elas estão felizes consigo mesmas! Não há um corpo ideal para a dança do ventre se você quer praticar como um estilo de dança, um hobby. Certamente nas profissionais a maioria é magra, mais por uma questão cultural do que por uma imposição ou condição da dança, mas isso não impede também que tenhamos lindas e poderosas dançarinas do ventre de todos os corpos e idades.

3 - Para fazer dança do ventre tenho que investir em algum material?
O xale de medalhinhas é bem legal de se ter para quem está começando e com o tempo, você pode adquirir materiais que fazem parte do universo bellydancístico, como: snujs, bastões, espadas, véus e principalmente roupas! Nada disso é imprescindível para quem quer dançar, mas conforme o tempo passa, nós vamos querendo adquirir certas coisas mesmo, principalmente a roupa se nossa escola e/ou professora organiza/participa um evento de dança do ventre. Mas tenha em mente que ninguém é obrigado a se apresentar ou comprar objetos da dança só porque a pratica! Isso deve ser uma iniciativa da própria pessoa, se ela quiser ter algo, como vemos em tantas outras modalidades de dança por aí.

4 - O que a dança do ventre pode me trazer?
Primeiramente, acho que toda praticante é unânime em dizer que traz uma melhor autoestima! Afinal, você precisa ser sensual, né? Precisa mexer partes do seu corpo que talvez nem conhecesse (assoalho pélvico!), daí além do autoconhecimento, rola também uma maior aceitação, você perceber o quanto pode ser bonita e graciosa apenas com movimentos. Além disso, uma coisa que te garanto: dança do ventre vai te viciar em música árabe! Olha que pessoa eclética você vai ser, haha! Não tem coisa melhor que sair da mesmice?

Então gente, acho que são os pensamentos e questionamentos básicos, no resto é correr atrás. Fica aqui a dança de uma das minhas musas no início da minha trajetória na dança do ventre: Ansuya!

Related Posts with Thumbnails